Início


Atendimento Pedagógico

Escuta e acolhida

O atendimento pedagógico atende a comunidade discente da UFPR e pode ocorrer de três formas:

  1. demanda espontânea;
  2. encaminhamento de professores e coordenadores;
  3. convocação de alunos bolsistas Probem que estão abaixo de 75% do rendimento acadêmico.

Embora o atendimento dos pedagogos e das pedagogas esteja ligado tecnicamente à questão pedagógica e a vida acadêmica do estudante, é comum observarmos situações familiares e relações pessoais do trato acadêmico interferir nos resultados educacionais: estudantes que deixam a casa e a cidade dos pais e se sentem sozinhos e ao mesmo tempo desafiados na dinâmica do contexto universitário; estudantes acostumados com a metodologia de estudo do ensino médio, no qual obtinham ótimo desempenho e não conseguem entender o porquê da dificuldade em acompanhar o ritmo do ensino superior em uma universidade federal.

Além das questões pessoais, o próprio ambiente educacional apresenta obstáculos relacionados à interação docente X discente, discente X discente, discente X coordenação, assim como, conflitos inerentes à práxis do ensino superior que acabam por influenciar o desempenho educacional.

Por isso, a escuta tem se mostrado uma importante ferramenta de acolhida. Nesse sentido, um espaço de diálogo em busca da construção de ações e reflexões que auxiliem na organização pedagógica e na autonomia universitária tem se mostrado muito eficaz.

 

Acompanhamento acadêmico dos bolsistas Probem

O Programa de Benefícios Econômicos para Manutenção, oferecido aos estudantes de graduação e ensino profissionalizante da Universidade Federal do Paraná é realizado semestralmente pela equipe pedagógica da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis com a finalidade de verificar o cumprimento dos requisitos dispostos pela Resolução n. 31/09 COPLAD, que regulamenta o Programa.

Conforme o Art. 7º dessa mesma resolução, para manter-se no programa, o estudante deverá matricular-se e cursar, obrigatoriamente, as disciplinas correspondentes a etapa curricular ou estar acompanhado por equipe de acompanhamento acadêmico do curso e a de Apoio Psicossocial da PRAE. O estudante que não obtiver aprovação em no mínimo 75% (setenta e cinco por cento) das disciplinas cursadas na etapa curricular, que tiver reprovação na mesma disciplina em duas etapas curriculares  ou/e que efetuar cancelamento de disciplinas por duas etapas curriculares consecutivas, será desligado do programa.

O acompanhamento acadêmico dos bolsistas é feito em etapas distintas, nas quais segue:

  1. Verificação individualizada do rendimento acadêmico semestral dos bolsistas verificando:
  2. se está matriculado em todas as disciplinas ofertadas em sua etapa curricular;
  3. se houve aprovação em no mínimo 75% (setenta e cinco por cento) das disciplinas cursadas na etapa curricular;
  4. se houve reprovação na mesma disciplina em duas etapas curriculares consecutivas;
  5. se houve cancelamento de disciplinas por duas etapas curriculares consecutivas;
  6. se houve 75% (setenta e cinco por cento) frequência do estudante.

 

  1. Chamada convocatória dos estudantes que não atenderam ao disposto anteriormente citado.
  2. Atendimento individualizado desses, por meio de realização de entrevistas a fim de identificar os fatores que estão se constituindo como barreiras para o bom desempenho acadêmico.
  3. Mapeamento dos principais problemas, dificuldades e necessidades cotidianas enfrentadas pelos estudantes, enquanto sujeitos inerentes ao processo educacional.
  4. Orientação ao estudante.

 

 

Orientação ao estudante

Nesta etapa pretende-se elaborar junto com o estudante ações e estratégias pedagógicas que o auxiliem no enfrentamento de obstáculos acadêmicos e na progressiva melhora da sua aprendizagem ou relacionamento acadêmico. Muitas vezes a dificuldade apresentada não é um problema individual, mas um problema no todo de um processo de ensino e aprendizagem, por isso nosso foco é não culpabilizar o estudante — sem com isso menosprezar sua responsabilidade como universitário e  seu compromisso com o programa — e sim, construir ferramentas de superação e possibilidade de reflexão individual e coletiva do processo educacional no qual está inserido.

Cada estudante aprende de forma diferente e está inserido em cursos que apresentam diferentes peculiaridades, desse modo, técnicas de estudo e orientações específicas adequadas as suas necessidades auxiliam a desenvolver uma  metodologia de estudo mais eficaz para a sua realidade.

Também é verificada a necessidade e possibilidade de realização de encaminhamentos para os serviços oferecidos de apoio psicológico, social e de saúde ou ainda para os núcleos da UFPR que desenvolvem ações direcionadas como Núcleo Universitário de Educação Indígena (Nuei), Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Especiais (Napne),  Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (Neab) entre outros.

Após análise do histórico escolar é realizada a orientação com relação à matriz curricular sugerindo matrícula em disciplinas de acordo com o histórico apresentado, bem como cancelamento, trancamento, aproveitamento de disciplinas visando otimizar o desempenho acadêmico.

Nessa análise (histórico e entrevista) observa-se, algumas vezes, que o estudante está insatisfeito e/ou seu perfil não combina com a do curso escolhido, nesses casos, incentivamos reflexões para que ele busque uma área de maior identificação.

A fim de evitar a ultrapassagem do prazo máximo para integralização curricular em parceria com a coordenação do curso, o estudante é orientado a fazer a elaboração de um plano de estudo, organizando as disciplinas que faltam ser cursadas em um período possível de ser percorrido.

 

Outras atribuições:

  • Contribuir com as atividades desenvolvidas pela Coordenadoria de Assuntos Estudantis (CAE) através de assessoria técnico- pedagógica;
  • Planejar em parceria com os demais profissionais o desenvolvimento de ações da assistência estudantil trazendo para discussão as necessidades pedagógicas do estudante;
  • Participação em comissões que discutem a vida acadêmica a fim de apresentar reflexões e informações vivenciadas no contexto pedagógico de acolhida e que envolvem o processo de aprendizagem desses estudantes a fim de identificar os fatores que estão se constituindo como barreiras para sua aprendizagem;
  • Dialogar com a coordenação dos cursos sobre singularidades apresentadas por alguns estudantes que estão em acompanhamento pedagógico para construir ações de intervenção, interação e orientação.